PUBLICIDADE
Geral
Noticia de: 15 de Maio de 2019 - 11:16
Maio Laranja: Especialistas defendem ações para proteger jovens da exploração sexual



 
 

“Apenas 20% dos abusos ocorrem por pessoas classificadas pela psiquiatra como pedófilo. Outros 80% ocorrem por questão de oportunidade”, com este alerta a juíza Katy Braun, que atua há 10 anos na Vara da Infância e Adolescência, defende a adoção de ações para enfrentar o abuso e a exploração sexual de crianças e adolescentes em Mato Grosso do Sul.

A magistrada elenca quatro fatores de proteção que podem ser adotados para prevenir a ocorrência desses crimes. A educação em ensino integral, para evitar que as crianças fiquem sozinhas enquanto os pais trabalham; a prática de atividades esportivas, culturais ou de lazer, para garantir uma ocupação e evitar períodos ociosos.

Outra questão é a necessidade de habitações dignas, pois as crianças pobres são as principais vítimas e não dispõem de espaço de privacidade nas moradias e, por fim, a pede para que os pais fiquem vigilantes e instalem filtros nos equipamentos de acesso à internet, para evitar contatos com a pornografia e outros materiais impróprios para estas faixas etárias.

“A ociosidade das crianças, sem vigilância dos pais, aumenta essa vulnerabilidade”, justifica Katy Braun, que também alertou sobre aumento dos casos de relações incestuosas entre irmãos. A juíza cobra que as leis para combate a exploração sexual infantil sejam colocadas em prática.

A psicanalista Viviane Vaz alerta sobre a vulnerabilidade das crianças, que dependem da proteção e atenção dos pais e responsáveis. Coordenadora do Projeto Nova, ela diz que a iniciativa busca informar as crianças a se proteger, com foco no fato de 80% dos casos de abuso ocorrem dentro de casa.

“Infelizmente, aqueles que seriam os principais autores da proteção, são os principais autores dos abusos”, declara. O projeto realiza palestras em escolas para informar sobre as leis, Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e ajudar as crianças a entenderem que são sujeitos com direitos e deveres.

“Trabalhamos o respeito ao próximo em palestras dentro das escolas, principalmente neste mês de maio. Temos de falar também aos educadores sobre leis, sobre a rede pública de proteção. Existem formas para mudarmos esse quadro de violência”, defende.

Ambas estiveram na última semana na Câmara Municipal de Campo Grande e também no lançamento da campanha Maio Laranja, de combate ao abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes do Governo do Estado.

Juíza Katy Braun do Prado apontou quatro ações para proteger jovens contra abuso e exploração. (Foto: Izaias Medeiros/CMCG)

Índices alarmantes

Dados da Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública) revelam que Mato Grosso do Sul lidera o ranking nacional de casos registrados de estupros de crianças e adolescentes. De 1º de janeiro até o dia 10 de abril de 2019, a Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) registrou 141 crimes, sendo nove tentativas de estupro, 10 violências doméstica e 122 estupros.

Denúncias podem ser feitas pelos telefones Disque 100 e 190 (Polícia Militar).

Maio Laranja

Durante este mês de maio serão promovidas atividades para conscientização, prevenção e orientação sobre as formas de abusos contra crianças e adolescentes. Os objetivos da campanha são: dar publicidade para que se denuncie a violência e orientar os jovens sobre o que é abuso, como prevenir e denunciar este tipo de crime.

Serão realizadas diversas ações em todo o Estado, como palestras e capacitações nas escolas, voltadas para os profissionais de educação, pré-adolescentes e adolescentes; distribuição de material publicitário em prédios públicos, avenidas, igrejas, escolas e etc; será disponibilizado conteúdo digital com linguagem apropriada para crianças pequenas, adolescentes e vídeo-aula para qualquer adulto que tenha interesse em adquirir conhecimento e defender a causa.

principal  |  voltar  |  imprimir

Últimas Noticias

.
21/08/2019 - 11:54  A 3 dias de competição, Rally dos Sertões muda visual na região central
21/08/2019 - 11:53  Mega-Sena pode pagar até R$ 31 mi nesta quarta
21/08/2019 - 11:42  Carretas batem de frente e deixam um morto na BR-163
21/08/2019 - 10:22  Homem é encontrado morto um dia após sair para caminhada
21/08/2019 - 10:19  Após ataques, polícia reforça a segurança no Jardim Carioca
21/08/2019 - 10:12  Governo perde metade da receita do ICMS do gás natural
21/08/2019 - 09:31  26° Sessão Ordinária na Câmara Municipal de Dois Irmãos do Buriti
21/08/2019 - 09:29  Reinaldo Azambuja participa de reunião do Corredor Bioceânico e recebe homenagem da Câmara
21/08/2019 - 09:17  Brasileiros são suspeitos de planejar atentado contra presidente do Paraguai
21/08/2019 - 09:10  TJ aprova recuperação judicial e Bigolin deve pagar R$ 29,6 milhões em dívidas
21/08/2019 - 09:07  Operação que prendeu integrante do PCC aconteceu após ameaças a PRF
21/08/2019 - 09:06  Quase meia tonelada de pasta base que saiu do MS é apreendida no Sul
21/08/2019 - 09:04  BNDES bancou compra do jatinho “Cheio de Charme”
20/08/2019 - 12:04  Sequestrador de ônibus é morto por atirador de elite na Ponte Rio-Niterói; os 37 reféns passam bem
20/08/2019 - 11:41  Ministro vem a MS para reunião sobre Corredor Bioceânico na quinta-feir
20/08/2019 - 11:36  BNDES financiou R$ 24 milhões em jatos a empresas com atuação em MS
20/08/2019 - 11:33  Adélio diz que esfaqueou Bolsonaro "após ouvir voz de Deus"
20/08/2019 - 10:11  Para CCR, chance de perder ação para revisão de contrato é “remota”
20/08/2019 - 10:08  Partidos de esquerda e centro articulam união para barrar radicais
20/08/2019 - 10:04  Equipe "X Rally Team": De olho no tetracampeonato
 
 
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE